Coisas da Vida

Olá seja bem vindo! Este blog nada mais é do que um espaço do qual sem pretensões ou empáfia, compartilho de coisas que vejo, coisas que ouço, coisas que vivencio, nesta jornada existencial!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Jesus um Deus humano!


Natal, que alegria, que esperança que mensagem nova ele trás? 25 de dezembro, o dia certo? Só por grande acaso; saber o dia não aumentaria a sua glória. Se os reis trouxeram-lhe presente ou não, se foi outono, inverno, primavera ou verão também não tem muita importância. O que importa na verdade é o sentido transformador deste dia, visto que a partir do nascimento de Jesus o mundo não seria mais o mesmo.
            Quando imagino a sena do nascimento do menino Jesus, fico maravilhado! Pois vejo nesse nascimento a revelação do amor de Deus. Um Deus que desceu do seu trono de glória e se fez criança, que foi cuidado por um casal de humanos, que teve fome, que chorou; Um Deus conosco! Pois escrito está: “ Eis que a virgem conceberá, e dará luz um filho, e o chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, que traduzindo é: Deus conosco.” (Mateus 1.23). É, humano assim como Jesus só pode ser Deus mesmo, isso é maravilhoso de mais para mim. Pois, há medida que Jesus estava em Deus, mais se divinizava, e quanto mais Deus estava em Jesus, mais se humanizava.
            Foi nessa humanidade pequena e irrisória do homem de Nazaré, que Deus quis se revelar. Não apesar dela, mas através dela. Por isso o nascimento de Jesus cristo anuncia a benevolência e o amor incondicional de Deus aos homens. Jesus é EMANUEL “Deus conosco” por conhecer os dilemas de nós seres humanos em sua pele, em sua carne. Em Jesus, Deus sentiu o que sentem os seres humanos e nos compreendeu como seres humanos, é por isso que foi derramada sobre nós a sua graça.
            Pensar no natal de Cristo é pensar em um novo começo, é pensar em uma história de libertação, é pensar em uma história do amor de Deus, que se revela como EMANUEL, para salvar as nossas vidas, trazendo sentido à nossa existência humana.
            Que a cada dia possamos sentir a graça do EMANUEL, e que essa presença nunca falte em sua vida e em sua família todos os dias. Á todos um Feliz Natal, e que Jesus seja sempre o EMANUEL de sua vida!
                                                                                                                                          Rogério Pinheiro

domingo, 11 de dezembro de 2011

Por um mundo melhor

Disse Jesus: “vós sois o sal da Terra...”, sal que da sabor, sal que tempera, sal que conserva...
É necessário entendermos que a nossa vida é vida para o outro, para a nossa casa comum que é o nosso planeta, dos quais fomos chamados para saborearmos e darmos sabor.
Sucintamente podemos dizer que o sentido do nosso planeta e da nossa existência conscienciosa é sermos a imagem de Deus. De um Deus que cuida, que ama, que ver a beleza de sua criação e diz “ah, é muito bom...” e que ensina a nos relacionarmos com tudo e com todos, pois o planeta, o universo é constituído por teias de relações de forma que um vive pelo outro, para o outro e com o outro. Pois, tudo é relação e nada existe fora da relação, portanto a lei mais universal é a sinergia, a colaboração, a solidariedade, a comunhão e a irmandade, por isso vamos cuidar de todo o mundo, vamos cuidar uns dos outros, por um mundo melhor.
Por: Rogério Pinheiro

video
 video: http://www.youtube.com/watch?v=Plym52bVkVg

sábado, 10 de dezembro de 2011

Uma nota de esclarecimento sobre o natal

O Natal tem sido combatido por estranhos cristãos. Alegam que o Natal é a festa pagã do culto ao Sol. Conclusão precipitada. Tendo que escolher uma data, escolheu-se aquela porque se considera que Cristo é o sol da justiça (Ml 4.6). Combatem a árvore de natal, dizendo-a resquício do culto pagão às árvores. Esquecem que a Bíblia se abre e fecha com a presença de uma árvore (Gn 3.9 e Ap 22.14). Mas o estranho é guardarem festas judaicas, que se tornaram festas pagãs, com o advento de Cristo, sendo coisas passadas, à luz de Colossenses 2.16-17.
O cristianismo e a Bíblia expressam as verdades de Deus na cultura do povo, não em uma cultura angelical. Os quatro títulos duplos que aplicamos a Jesus, em Isaías 9.6 ("Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz"), eram usados na sagração do novo Faraó, no Egito. O profeta os aplicou a Jesus. O domingo, dia do Senhor, era o dia do culto ao Sol, na mitologia de alguns povos europeus. Mas foi o dia em que Cristo ressuscitou.
Não é preciso negar ou modificar tudo porque se descobriu um aspecto que não corresponde ao que pensávamos. Isto é insensatez: jogar tudo fora por causa de uma parte. Meio entendimento é pior que nenhum entendimento. Principalmente se produz estabanamento intelectual.
Natal não é festa pagã. Isto soa como falta de inteligência. É a comemoração do nascimento de Jesus. Se a data não foi 25 de dezembro, qual é o problema? A Páscoa, quando se comemora a morte de Cristo, cada ano cai num dia. Mas não invalida a morte vicária de Cristo.
O legalismo e a postura de alguns em reinventar e redescobrir o evangelho são atitudes negativas. Pergunte-se a um cristão sincero, não desses cheios de empáfia que descobriram que todo mundo fez tudo errado até hoje, o que ele comemora no dia 25 de dezembro. Ele dirá: "O nascimento de Jesus". Na falta de data específica, ficou-se com esta. Qualquer outra suscitaria uma crítica de alguém. Que critiquem.
O erro não é comemorar o nascimento de Jesus. O erro é trocá-lo por Papai Noel, é olhar o aspecto apenas humano e sentimental da ocasião e esquecer o aspecto espiritual. Por isto, comemore o Natal. Com gratidão a Deus. Louve-o por seu Filho, Jesus Cristo, nosso Salvador.
Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho